Amigos do Samba Reapresenta Jovelina Pérola Negra.

A escola vai em busca do título inédito com a reedição do carnaval 2012, sobre Jovelina Pérola Negra, visando uma melhor homenagem a essa grande dama do samba. Vejam a entrevista do presidente Leandro Kfé:

1- Por que a escola escolheu esse enredo?
Desde que se abriu na liga a possibilidade de reedição passamos a pensar sobre o dia e que traríamos esse enredo novamente para a avenida. Em 2012, por alguns contratempos com a desenhista da escola o desfile não saiu como era esperado e desfilamos incompletos. Por isso que, dessa vez, queremos fazer uma homenagem digna a Essa grande dama do samba Jovelina Pérola Negra.

2- Como será desenvolvido na passarela João Jorge 30? (Ficha técnica, alas, alegorias, casais e afins)
O desfile foi estruturado pensando em 22 alas e 6 alegorias, mas de acordo com a criação algumas modificações podem ocorrer.

3- Qual a motivação da escola em busca do título?
Os desfiles da Amigos do samba sempre visam apresentar um bom espetáculo que agrade o público, conseguindo isso já nos sentimos vitoriosos e conquistar oficialmente o título passa a ser apenas consequência de um bom trabalho.

4- O que os espectadores podem esperar da escola em 2020?
Uma escola com um desfile forte e samba envolvente com a mesma garra apresentada em nosso título ainda no acesso em 2018.

5- Como será feita a escolha do samba?
Apresentaremos a reedição de um grande samba enredo premiado com o Clara Nunes em 2012.

6- Considerações finais
É um prazer enorme poder fazer parte desse espetáculo e temos a certeza que o carnaval virtual de 2020 da LIESV será grandioso e queremos contribuir muito para isso.

Acompanhem agora a sinopse

Amigos Reapresenta: A Pérola Negra vai passar por aqui.

Justificativa/Introdução:

“É / Foi ruim à beça / Mas pensei depressa/ Numa solução para a depressão / Fui ao violão / Fiz alguns acordes / Mas pela desordem do meu coração / Quase que sofri desilusão”.

O Mundo passa por momentos difíceis e a Amigos do Samba, escola da alegria e irreverência, do sorriso sempre aberto, dos enredos leves e jeito todo especial neste carnaval apresenta mais uma vez toda sua energia positiva.

Nossa escola já passou por vários momentos conturbados o principal deles, em nossa homenagem especial a uma grande dama do samba lá em 2012, que não saiu da forma que esperávamos.

“Ai de mim / Se não fosse o pandeiro / o ganzá e o tamborim / Pra ajudar a marcar… (O tamborim)”.

Mas a hora é de “positivar o nosso modo de pensar” e acreditar sempre “que a vida é melhor quando a gente sorri”, sendo assim, buscamos na energia positiva de uma artista grandiosa a inspiração para levar alegria a esse povo.

Tremula o nosso pavilhão e ostenta com orgulho nossos símbolos: o Pandeiro e os sambistas, a força de nossas cores e de nosso samba. É hora de dar um “chega pra lá” em qualquer motivo de tristeza e, mostrar que somos bambas de verdade, “malandros desse tipo que balança, mas não cai”, voltamos a homenagear uma das grandes Damas do Samba e Pagode: Jovelina Pérola Negra. Sim, a Amigos reapresenta: A Pérola Negra vai passar por aqui.

“Deixa comigo, deixa comigo / Eu seguro o pagode e não deixo cair / Sem vacilar /Sem me exibir /Só vim mostrar/ O que aprendi”.

Neste carnaval, os grandes sucessos de Jovelina, os quais, através seu cantar e sua voz inconfundível foram imortalizados, vão permear todo o cortejo que a Amigos do Samba fará nesta avenida.

SINOPSE:

LUZ QUE CHEGA DE REPENTE

“Lá / Laiá laiá laiá / Laiá laiá laiá / Laiá laiá laiá / Lá Laiá laiá laiá / Laiá laiá laiá / Laiá laiá laiá / Laiá laiá laiá / Lá Laiá laiá laia (samba aqui, samba ali, samba lá ) Lá Laiá laiá laiá /Lá Laiá laiá laiá”

Pois é…
Eis a nossa inspiração,
Iluminando a passarela com seu talento.
Essa luz que chega de repente, no miudinho
É ela, a partideira da pele mais negra.
É, é… É ela…
Jovelina, que chega para improvisar,
versar muito samba e… ser homenageada
Hoje a Amigos “Sem vacilar, sem se exibir…”
Quer mostrar para essa geração de sambistas,
Tudo que aprendeu, e como aprendeu.
Nessa avenida somos seu abrigo, Oh! Pérola!
E tu és o nosso tesouro precioso
Que encanta em sons acústicos
Coloca o povo pra sambar
Por todos os cantos da cidade
Para tomar um “banho de felicidade”.

NASCEU PARA BRILHAR

Ah! Essa menina faceira…
Da Zona Sul a Coelho Neto
De Belford Roxo a Madureira
Fez da sua vida, exemplo de luta e superação
De Empregada doméstica a vendedora ambulante
Em nenhum instante desistiu do sonho de cantar
A “tinta vermelha” que corria em seu corpo
Era do mais puro DNA sambista
Na Serrinha, onde rodava sua saia como baiana
Conheceu diversos bambas
E no botequim imperial
Deu seus primeiros passos como cantora
Conto também que, debaixo da Tamarineira
Ela não marcava bobeira
Neste lugar da alma do verdadeiro pagode carioca
Jovelina com sua voz rouca, forte e de tom popular
Sambou, cantou e conheceu muita gente
Gente boa, de uma Raça Brasileira.
Gente que, junto a ela, escalou o “pau-de-sebo”.
Almejando o topo da carreira musical
E a nossa Pérola conseguiu…

PÉROLA NEGRA

E assim foi essa menina
Da cor reluzente e voz amarfanhada
Uma verdadeira Pérola negra,
Com o dom de cativar e conquistar.
Causos e casos embalados pela sua voz
Na roda de samba, apesar de chegar devagar
Ligava de verso de improviso
Encarando qualquer desafio
Versos cantados e criados,
Caem facilmente no gosto popular.
Como é bom recordar

“Menina você bebeu… Demais / Menina você bebeu… / Bebeu demais”

Sambar e ouvir

“Quem é esse cara / Que pintou na área / Com força na goela? (Diz ai. )
É Boogie Woogie da Favela”

E para completar, ouvir

“Fui no pagode / Acabou a comida / Acabou a bebida / acabou a canja /
Sobrou pra mim / o bagaço da laranja / Sobrou pra mim / o bagaço da laranja “

Desde o início de sua trajetória
São muitos os Grandes sucessos
E eles jamais envelhecem
Uma música deu o tempero certo ao seu estilo inconfundível.
Falando de uma certa feirinha
Lá no bairro da Pavuna.
Frutas e verduras armaram a maior confusão
O que fazer?
Pra quem é partideira foi fácil achar solução.
Bastou transformar o “quiprocó” em um belo refrão:

“Na feirinha da Pavuna / Houve uma grande confusão / Na feirinha da Pavuna /
Houve uma grande confusão / A Dona Cebola que estava invocada / Ela deu uma tapa no Seu Pimentão”

É SÓ CHEGAR NOS PAGODES DA CIDADE

A cada disco novo na praça
Mais músicas caíam na graça do povo
Andar pelos pagodes da cidade,
Era um verdadeiro banho de felicidade.
O ressoar dos tantãs…
O som de um banjo bem tocado já arrepiava
Bastava o tom chegar a seus ouvidos
E da voz firme de nossa Dama
O “Lauê laiá” começava a ecoar
E um repertório variado animava a todos
Agradava aqueles que amavam ou sofriam por amor
Com ginga e verso firme,
Provocava malandro que dizia fazer e acontecer.
Falou de dor, cantou alegria e com maestria.
Exaltou a força do pagode pra quem quisesse ver e ouvir

“Olará, cadê Clementina de Jesus/ Ah, Jesus, cadê Dona Ivone? /
Olará, cadê Clementina de Jesus/ Ah, Jesus, cadê Dona Ivone Lara?”

Não é possível Falar de Jovelina,
Sem citar duas outras grandes damas,
Verdadeiras pastoras do samba.
Clementina de Jesus
De quem Jovelina era considerada herdeira natural
E em um de seus álbuns,
Fez questão de exaltar sua importância e talento dizendo:

“Clementina de Jesus, onde estiver / Venha, Ilumina…/ A nossa raça e o samba com a sua luz/
A nossa raça e o samba com a sua luz…”

E Dona Ivone Lara
A Arte deste encontro representou com maestria
A dinastia das grandes vozes femininas
Que contribuíram para conduzir o partido alto
Até linha de frente da MPB
O estilo musical podia ser ouvido e sentido a todo o momento
Nas ondas das rádios, nas filosofias dos bares.
Embalando os sonhos e a esperança,
Dessa gente de norte a sul
Que crê em um futuro melhor.

“Ai que vontade que eu tenho / de ser feliz / e levar a minha vida / do jeito que sempre quis /
do jeito que eu sempre quis “

AMIGOS CHEGADOS, TODOS JUNTOS POR JOVELINA

O Samba é arte pura e totalmente nosso.
Que ninguém tente silenciar nossa cultura.
Pois ele é vivo,
Formado por elos muito resistentes de uma raça.
Que não adianta tentar esfriar ou até subestimar,
O samba não se curva a imposições
E não se rende a preconceitos
Vence barreiras e supera desafios
Pois é coisa da gente, é de bamba.
De batuque, de terreiro que…

“Está no sangue / Não tem mesmo jeito / O samba merece respeito / Seja aonde for”

Jovelina, nossa grande dama do samba.
Aprendemos muito com você
Sua luz não apagou e jamais apagará
A nova geração caminhará seguindo seus passos
Carregando no peito, com muita honra,
A chama de sua alegria, do seu alto-astral.

Para celebrar este momento
Uma grande roda de samba está formada.
Todos curvam-se diante desta dama
Agora você já sabe o porquê
De te convidamos para este samba
Sem ao menos lhe avisar
Foi para que hoje, todos nós, Amigos do Samba,
Juntos a todos os seus “Amigos Chegados” (Que nesta festa, não foram barrados).
Possamos aplaudir de pé a grande diva

Sim… Todos juntos para celebrar e festejar
Nosso Samba Guerreiro vai contagiar essa avenida
Ecoar por todos os cantos
E quando essa festa acabar
Você, que não é diamante, fina esmeralda,
Turmalina e nem mesmo rubi
É sim, a joia maior da história do samba.
Terá a certeza
Que por onde passou, deixou saudades…
E o carnaval virtual nunca esquecerá
Que um dia… A Pérola Negra passou por aqui.

Autor do enredo:
Leandro Kfé

Comentários do Facebook