Sereno de Cachoeiro lança sua sinopse para o Carnaval Virtual 2019

A Sereno de Cachoeiro divulgou a sua sinopse para o Carnaval Virtual 2019. A tradicional agremiação capixaba prepara a sua volta à avenida virtual após problemas no último carnaval. A azul e branca trará para o Grupo de Acesso A o enredo A Fantástica Fábula do Chocolate de autoria de Milton dos Santos. Miltinho é também o presidente, carnavalesco e intérprete da escola, e nos conta o que a Águia de Cachoeiro prepara para sua volta triunfal, onde traz uma ideia inédita: um enredo patrocinado no Carnaval Virtual.

A Sereno foi fundada em 2007, a partir de uma escola de samba em miniatura que eu fazia desde pequeno. Quando conheci a LIESV, em 2005, de cara eu quis participar, mas demorei 2 anos para tomar coragem. Logo no primeiro ano a Sereno foi campeã do CAESV. Dois anos depois estávamos no Grupo Especial, disputando com as grandes da época. Ano passado, com o baque do AVC de meu pai, pela primeira vez não desfilamos. Este ano, se Deus quiser, estaremos de volta à JJ30.

A ideia do enredo veio de um desafio que fiz a mim mesmo: como seria fazer um enredo patrocinado no carnaval virtual? Então eu imaginei Willie Wonka patrocinando a Sereno!
Contaremos a história do chocolate, desde a mitologia dos povos pré colombianos, até a indústria de hoje. A ideia é voltar a ser criança, abrindo uma barra de chocolate.



Confira abaixo a sinopse na íntegra.

 

“A FANTÁSTICA FÁBULA DO CHOCOLATE.”

INTRODUÇÃO.

Seja qual for a sua idade, abrir um chocolate é como abrir um portal para um mundo mágico de sabores, perfumes e texturas. Cada mordida é uma doce explosão de desce da boca ao coração, enchendo a alma de alegria, fazendo-nos voltar à infância, colorindo nossa mente com os mais puros prazeres. Não é à toa que o chocolate é também chamado de Manjar dos Deuses, aliás esta é a tradução do nome científico do cacaueiro: Theo (Deus) – broma (Broma alimento).

A Sereno de Cachoeiro volta ao carnaval virtual para mostrar a história do chocolate, uma história tão fantástica que poderia muito bem ser uma fábula, a Fantástica Fábula do Chocolate.

SINOPSE

Conta a tradição Olmeca que existia no paraíso uma grande árvore. Da semente de seus frutos dourados, os deuses retiravam um néctar que servia de alimento e trazia alegria a seus corações. Um dia, a Serpente Emplumada Quetzalcoatl pegou uma semente do fruto dourado e levou para a Terra, para dar de presente aos homens. Assim, surgia o primeiro cacaueiro, que os nativos chamavam de kakawa. Logo ele se espalhou e se tornou um dos pilares daquela civilização. Das sementes torradas e moídas, se fazia uma bebida amarga, apimentada, um manjar reservado ao culto divino, tomada por reis e sacerdotes.

Por séculos, Maias e Astecas cultivaram o fruto. Suas sementes foram usadas como moeda, ou seja, um tesouro que brotava do chão e, literalmente, “dava em árvores”. Montezuma, o grande imperador asteca, apreciava tanto a bebida, chamada xocoatl, que a tomava diversas vezes ao dia, em taças de ouro que eram jogadas fora depois de usadas. Quando o conquistador espanhol Hernan Cortez chegou ao reino Asteca (atual México) em 1519, ficou impressionado com a bebida oferecida por Montezuma. Depois da conquista do México, Cortez levou sementes de cacau para a Espanha a apresentou ao Rei Carlos V.

Na Europa chocolate quente caiu no gosto da nobreza, e a Espanha passou a ter o monopólio do comércio dos grãos de cacau, graças às plantações de Cortez. O que era amargo foi adocicado, receita escondida a sete chaves pelos monges espanhóis, responsáveis pela manufatura do líquido. Por volta de 1700 surgiram as chocolatarias, casas especializadas, onde o chocolate era apreciado por nobres, tanto que a Princesa Maria Teresa, de Espanha ficou conhecida como a “princesa chocólatra”.

Com a Revolução Industrial, e a invenção de máquinas especiais, a produção em massa aproximou o chocolate dos mais pobres. Na Holanda foi criada a prensa de cacau, que separava a manteiga da massa de cacau, base para o chocolate em barra, criado na Inglaterra em 1847 pela fábrica Fry and Sons e vendido em caixas no formato de coração. Mas foi em 1876, na Suíça, que foi adicionado leite nesta mistura, surgindo assim o chocolate ao leite como conhecemos hoje.

E o Brasil? Por aqui o cacau chegou pelo Pará, em terras amazônicas, trazido por colonizadores portugueses. Mas foi na Bahia que o cacau se alastrou e criou raízes, cultivada por mãos escravizadas ou exploradas, enriquecendo cada vez mais os Coronéis. O cultivo do cacau se espalhou pelo sul da Bahia, até chegar em terras capixabas. No Século XIX e nas primeiras décadas do Sec. XX, o Brasil foi o maior exportador de cacau do mundo, embora o chocolate não fosse, ainda, produzido por aqui: toda a produção de cacau era levada para a Europa e América do Norte. A cor do chocolate? Só na pele da morena, cor de pecado.

Pecado e tentação… doce desejo materializado em pequenas delícias que enfeitiçam o paladar. Bombons que são presentes de amor, sedutores por natureza. Quando imigrantes começaram a produzir chocolate por aqui, nossas doceiras criaram maravilhas apreciadas por adultos e crianças. Aniversário sem brigadeiro? Nem pensar! Ah, e aquele bolo de chocolate da vovó? Ou um sorvete de chocolate com bastante cobertura para espantar o calor? Sabor de saudade, sabor de infância.

O chocolate ganhou nosso coração, fazendo a imaginação viajar por diversos sabores. Bailando a valsa de um sonho, ouvindo doces serenatas, um mundo de cores se abre à nossa frente. Como crianças na manhã de Páscoa, nossos olhos brilham de felicidade a cada mordida. Fabricantes de felicidade vem nos contar esta fantástica fábula.

O final dela? Com chocolate sempre é final feliz.

 

Regras para Concurso de Samba:

Cada compositor é livre para inscrever quantas composições quiser.
Cada samba deverá ser gravado com pelo menos uma base rítmica (marcação) e/ou acompanhamento musical.
Cada samba concorrente deve ser gravado em mp3 e enviado juntamente com a letra, para o endereço miltonsbjr@hotmail.com
Prazo de entrega: 31 de Março

 

Para conhecer a LIESV acesse o nosso site clicando aqui. Curta a nossa FanPage no Facebook e faça parte do nosso grupo também no Facebook. Entre no nosso Chat do WhatsApp.



Comentários do Facebook