Em defesa da Diversidade, a Imperatriz Ludovicense busca surpreender no Especial

Seguindo a nossa série de entrevistas, hoje conversamos com Cleiton Almeida, carnavalesco da Imperatriz Ludovicense. Depois de assumir a escola com o Carnaval Virtual 2017 em andamento, a expectativa de Cleiton é grande para o seu primeiro carnaval completo na escola. A preocupação não é com a classificação, mas em apresentar um grande desfile. Confira a entrevista completa.

Cleiton Almeida e Shangela, referência para o desfile

Informações do entrevistado
Cleiton Almeida é graduando em Artes Visuais pela EBA-UFRJ e participa da LIESV desde 2012, mas assinou seu primeiro desfile na antiga CAESV apenas em 2013. Após deixar a escola em que era presidente, a Foliões de Rondônia, assinou um carnaval na Cangaceiros e está em seu segundo ano na Imperatriz Ludovicense.

Como está a expectativa da escola para o carnaval 2018?
Nossas expectativas são as melhores, pois estamos muito contentes com o trabalho realizado. Foi um pré-carnaval muito agradável, com diálogos saudáveis e bons feitos. Eu, como carnavalesco, me senti confortável e satisfeito por apresentar um trabalho com a minha linguagem, visto que no ano passado assumi a escola a poucos meses do carnaval e tive que recorrer a soluções rápidas. Não temos expectativa com classificação final, mas sim com a experiência do desfile e com os desdobramentos dele.

Um resumo do que a escola vai contar
Nós apresentaremos uma narrativa fictícia que tem a intenção de mostrar como uma cultura egoica, conservadora e violenta pode arruinar a diversidade de outra cultura. Para isso, usamos como referência a destruição dos hábitos sexuais indígenas, estudados no livro “Devassos no Paraíso”, pelos colonizadores europeus. Mesmo que seja baseado em fatos históricos do Brasil, como por exemplo a chegada dos portugueses, a catequização jesuíta e mais recentemente a Operação Tarântula na década de 80, nosso enredo possui uma história própria, com fatos imaginativos e sem compromisso com sequências delimitadas. É uma fábula sobre como a Diversidade foi destruída e depois retorna para uma retomada triunfal.

Como surgiu a ideia do enredo?
Surgiu durante pesquisas sobre a cultura sexual indígena brasileira antes de 1500. Foram achados atrás de achados, dados interessantíssimos que me levaram à criação do enredo.

Alguma parte do desfile que pode chamar atenção?
Os setores que de certa maneira fazem um paralelo com a contemporaneidade são bem interessantes e podem chamar atenção.

Qual a sua ala ou alegoria favorita?
É uma pergunta difícil. Eu tenho muita simpatia pela comissão de frente, mas vou escolher o conjunto do último setor como o meu favorito.

Às vésperas do desfile como está o barracão da escola? Você pode contar um pouquinho do que está acontecendo por lá?
Na verdade, estamos em fase de montagem da escola na avenida virtual, rs. Tivemos que correr bastante no final, algumas coisas precisaram ser alteradas, mas deu certo e estamos bem.

Tem algo que possa nos mostrar pra ajudar a matar a curiosidade do público?
Acho que já não é mais necessário, visto que em poucas horas estaremos desfilando hahaha.

O que os amantes do carnaval virtual podem esperar do desfile?
Podem esperar uma escola bem diferente do ano passado e com uma maquiagem muito mais colorida!!

 

Logo mais teremos a segunda noite dos desfiles do Grupo Especial, a partir das 21h. A Ludovicense é a quinta escola a desfilar.

+ Baixe já o CDs com os Sambas do Carnaval Virtual 2018

Para conhecer a LIESV acesse o nosso site clicando aqui. Curta a nossa FanPage no Facebook e faça parte do nosso grupo também no Facebook. Entre no nosso Chat do WhatsApp.




Comentários do Facebook