Contra a polarização, Mocidade Imperial da Matinha lança seu enredo para 2020

A Mocidade Imperial da Matinha vem para o seu terceiro desfile em 2020. Confira a entrevista com o presidente Igor Antônio:

“1- Por que a escola escolheu esse enredo?
É muito comum nas confraternizações o pessoal puxar política como assunto. No início o tom é baixo, no final o tom sobe e quem é de esquerda defende seu lado com unhas e dentes, quem é da direita faz o mesmo. Todos se comportam como se fossem donos da verdade. Então o enredo veio da ideia de mostrar ao pessoal enquadrado nisso que ambos os lados têm seus pontos positivos e muitos pontos negativos. Corrupção, escândalo, dedo naquele lugar e gritaria de sobra nos dois lados, que se enxergam como muito distantes, porém são semelhantes demais.
2- Como será desenvolvido na passarela João Jorge 30. (Ficha tecnica alas, alegorias casais e afins)
O objetivo é que o desenvolvimento do enredo seja feito de maneira clara para o público. Iremos lembrar de todos os lados da nossa velha e nem tão amada assim política. Até mesmo os “isentões” serão lembrados em nosso desfile.

3- Qual a motivação da escola pra buscar o título.
A motivação é levar nossa ideia para que o público reflita. Título é um sonho distante e, a princípio, em segundo plano.
4- Como será feita a escolha do Samba.
Nosso samba será encomendado.
5- O que os espectadores podem esperar da Mocidade em 2020.
Ideias criativas, cutucada nos politiqueiros de plantão e quem sabe, algumas surpresas.
Conte-nos um pouquinho sobre esse enredo
O enredo, como pincelado anteriormente, é uma proposta diferente em relação aos últimos temas da escola, que veio com temas indígenas. Em nosso desfile traremos o retrato daquele seu amigo “coxinha” que defende corrupto quando lhe cai bem e quer uma ditadura, desde que não seja “de esquerda”. E também aquele “esquerdoso” de iphone, que é contra tiranos, desde que não seja o seu de estimação. E por um acaso total, um desses dois pode ser você, que irá testemunhar esse show de lacração e opressão que será, ou era pra ser, nosso desfile.”

Confira a logo e a sinopse da escola:


MOCIDADE IMPERIAL DA MATINHA 2020: ESQUERDAS, DIREITAS, E O BRASIL QUE SE FUEDA!
Que tempo é esse em que a massa se divide como se só houvesse o bem e o mal, o certo e o errado? Sai governo, entra governo e pouca coisa muda. Sai lado, entra lado e pouca coisa muda. Ainda assim nossa gente se digladia ferozmente na defesa do seu ideal, que no papel pode até ser grandemente discrepante da outra linha de pensamento, mas na vida real não é o que se vê.

No Congresso farra dos mensalões enquanto na casa do povão a luta diária pra completar o mês sem dívida. Pior que o próprio povo ainda cria umas espécies desse tipo como animal de estimação. Apoiam diariamente, dão carinho, até brigam por eles. Quem dera se todo pet fosse tratado com tal estima.

No grupo X tem os que apoiam dono de helicóptero carregado de drogas, milícia e extorsão de dinheiro explorando a fé alheia, no grupo YXZPQP + há os que apoiam “proprineiros”, lavagem de dinheiro e pedaladas fiscais. A única coisa que une esse grupo, talvez, seja a “saudade” do Vampirão. Ainda que tudo não passe de uma brincadeira.

“Vem pra rua!”, gritaram todos. Paneladas aos montes se ouviram. Pessoal com a camisa da Confederação Brasileira de Futebol em uma passeata contra a corrupção. Interessante. Enquanto isso os que não concordavam tinham outra coisa a fazer. Bem, os que receberam uma grana pegaram suas foices e bandeiras e partiram para o protesto. Quem não foi financiado ficou em casa com seu iphone maneiro, tomando uma cervejinha e debatendo sobre essa grande farsa que tomou conta de todo o país em certa época.

Nunca na história desse país aprendemos a respeitar ideias diferentes. Sempre fomos extremos. A guerra ideológica rompe décadas, séculos. Tem os que nascem e morrem na mesma linha, outros navegam entre elas. Plim Plim! Show do Milhão pra quem acertar quem apoiava um e depois passou a apoiar outro. O certo é que alguém vai pagar o pato, e esse alguém é sempre o POVO. A gasolina está cara, o dólar tá caro, a carne tá cara, quem esperava um dia se aposentar, não se aposenta mais. As coisas não melhoraram e nem iam mesmo, independente de quem tivesse no poder, pelo menos com as opções que nos deram e vocês abraçaram. Agora ou faz arminha com a mão ou você lacra, mas a nossa vida segue complicada e passar o pano não vai ajudar em nada. Se tá no ZAP, se é Fake News, tanto faz. É preciso agir com inteligência. O muro está baixo, mas não é preciso escolher um lado. É preciso, no mínimo, consciência!

Então, companheiros e companheiras, no que se refere a essa cuestão, vamos parar de picuinha e fazer do nosso Brasil um país decente e digno para todos.
Autor(es) do enredo: *
Igor Antônio- Presidente, carnavalesco e intérprete

Comentários do Facebook